quinta-feira, 8 de junho de 2017

cuidado, frágil

saudade do azul
do vento que sopra 
desde o sul
cortando os teus lábios
do frio que embesta
a cruzar pelas frestas
do teu blusão de lã
daquelas manhãs
vermelhas maçãs
que coravam o teu rosto

Nenhum comentário:

Postar um comentário