segunda-feira, 17 de julho de 2017

o frio

o frio que corta a carne
e expõe as vísceras

é o mesmo de quando tu te vais
e não me dá notícias

segunda-feira, 10 de julho de 2017

leitor analógico

incrédulo
relapso
mergulhou num rio vasto
e o acaso
encheu sua boca de peixes
dos seus olhos
saíram feixes de luz
e o coração
quase não coube no peito

quarta-feira, 5 de julho de 2017

jazz

dirtorço-me pra ouvir teu jazz
e sentir tua voz
fechar a minha garganta
(refaço-me)
como quem repete um mantra
interrompendo toda e qualquer conexão
só pra sintonizar
na tua onda

segunda-feira, 12 de junho de 2017

segunda-feira, 5 de junho de 2017

charqueadoces

não se pode comer asfalto
beber água do são gonçalo
ou tomar banho no laranjal
não se pode subir ao palco do teatro
pegar o ônibus sem ser assaltado
ou acampar no camping municipal 
não se pode comparecer aos atos
e ter os direitos assegurados
sem que te cortem o ponto
por insubordinação

"seja doce com pelotas"
com seus governantes, não

quarta-feira, 31 de maio de 2017

vácuo

prendeu o fôlego 
para não prender o tato 
para absorver o impacto 
do projétil 
que atravessou seu peito
no lado direito 
onde definitivamente 
não há coração

quinta-feira, 25 de maio de 2017

microclima

previsão de chuva 
no céu da boca 
a umidade no jardim 
de suas coxas
atingiu o pico 
de duas montanhas
arrepiando a vegetação 
da mata tântrica 
revirando a cama 
para a semeadura