quarta-feira, 17 de maio de 2017

quarta-feira, 3 de maio de 2017

romance

num recorte de memória 
pendurado no meu peito

corre um rio de dor e lágrimas 

um rascunho de mil páginas 
sobre um amor rarefeito 

terça-feira, 2 de maio de 2017

manifesto

ofereceu um tijolo ao vidro
dedicou à parede um grito
percebeu que não estava perdido
quando foi arrastado prum camburão

espancado com as mãos amarradas
processado pelas forças armadas
condenado pelas santas beatas
que não sabem o que é revolução

"esses vândalos"

quarta-feira, 26 de abril de 2017

à deriva

enquanto aporto
em teus poemas tortos
em busca de alguma ilusão

costuro pele com fogo
retiro farpas do estômago
desenho portas em escombros

sufoco a retidão

quarta-feira, 29 de março de 2017

segunda-feira, 27 de março de 2017

um sopro

respire
imunize-se
alimente-se
hidrate-se
conecte-se
eduque-se
socialize-se
intoxique-se
manifeste-se
relacione-se
embriague-se
consuma-se
remedie-se
expire

sexta-feira, 17 de março de 2017

mundo moinho

molestam mulheres 
massacram mendigos
margeiam melindres 
malevos medíocres
mascaram mesmices 
martelam mentiras 
mapeiam mesquitas
menstruam morteiros 
manipulam milícias 
mastigam mercados
menosprezam multidões 
matadores multimilionários 
midiotizam a massa
monopolizam os meios 
marginalizam os mitos 
mercantilizam o medo