segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

homônimos

eu uso o mesmo nome
de outros tantos 
que assinam por extenso 
em documentos
pra dizer o que não pensam 
por aí

eu uso o mesmo nome 
de outros santos 
que apertam baseados 
pelos cantos 
e assumem personagens 
pra viver

eu uso o mesmo nome
de outros tantos 
que navegam pelos mares 
e oceanos 
na angústia de ter sempre
que chegar

eu uso o mesmo nome
apenas
este maldito nome

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

teu verso

teu verso não usa disfarce
pra exalar veneno

embora sua profundidade
recomende máscara de oxigênio

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

reconsiderações

a poesia é um copo d'água
com dois terços de morfina
a rotina é o pó da estrada
sobre o olho que enferruja
roupa suja virou moda
no varal da hipocrisia
todavia a pior droga
é o amor que condiciona