quarta-feira, 20 de abril de 2011

Vento


Não espero
O futuro incerto
Possibilidades remotas
De talvez quem sabe
Não sei

Não vejo mais
A cor dos teus beijos
Voaram como pó
No vento do outono
Se perderam

Não sei o que dizer
Por isso calo
Na frente do espelho
Diante da angústia
De viver

2 comentários:

  1. Melancólico! Mas gosto de ler este estilo e vou voltar... bj

    ResponderExcluir
  2. Daniel, passei para desejar-lhe uma feliz Páscoa.

    ResponderExcluir