sábado, 12 de março de 2011

Outono



Apago aos poucos
Memórias vivas
Que seqüestram meus dias
Em que penso em ti

Como se o tempo
Desse um tempo de si
E estacionasse num sentimento
Difícil de suportar

Viajo em nuvens
Atravesso sonhos
Na busca instintiva de te ver
Pra matar a minha sede

E o que encontro são sombras
Escombros, incertezas pálidas
Que já se cansaram
De me acompanhar

Espero por uma trégua
Quem sabe, um último beijo
Numa manhã de outono
Pra todo esse encanto acabar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário