sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Noite adentro




O cinzeiro cheio
Histórias obscuras como tempero
Sensações da noite
A embriaguês de um pobre bêbado

[uma mesa de bar

Os fins que levam ao meio
Destino traçado no espelho
O mesmo sorriso forçado
Trocado por alguns trocados inteiros

[sem saideira

Atitude derradeira
Mais uma dose
O último cigarro amassado no bolso
Enquanto lá fora a vida segue
Sem nenhum esforço

Nenhum comentário:

Postar um comentário