domingo, 13 de novembro de 2011

Novos caminhos




Não deixe que o tédio
Seja o remédio mórbido
Pras dores que te afligem
No dia a dia

Não espere até que a rotina
Precise de morfina para aliviar
Esse momento febril
De inércia e falta de ousadia

Vire essa página desgastada
Ande sem pressa de pensar em nada
Por novos caminhos e descubra
Por onde anda a sua poesia

Nenhum comentário:

Postar um comentário